Vice-presidente de Telecomunicações da Abrac realiza palestra em evento da Remesp

Na oportunidade, Fabio Jacon abordou o tema: Tecnologias de Comunicação e Metrologia Legal

101220211841.png

Nesta quinta-feira (09.12), o vice-presidente de Telecomunicações da Associação Brasileira de Avaliação da Conformidade (Abrac), Fabio Jacon, realizou uma palestra técnica durante o IV Seminário de Metrologia Legal 2021 da Rede Metrológica do Estado de São Paulo (Remesp).

Na oportunidade, Jacon abordou o tema: Tecnologias de Comunicação e Metrologia Legal, e destacou pontos importantes como a Indústria 4.0, a Internet das Coisas (IoT), o uso de módulos de radiofrequência (RF) em metrologia legal, a certificação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), entre outros temas.

“Como vice-presidente de Telecom da Abrac, vou fazer essa apresentação, que foge um pouco do escopo de atuação na metrologia legal e a gente vai levantar um véu, que está se vislumbrando a curto prazo, sobre a revolução que estamos enfrentando nessa nossa sociedade, na interação com tecnologias da informação e como isso vai afetar o segmento de mercado de metrologia legal”, iniciou.

O vice-presidente destacou a Indústria 4.0, ao dizer que o tema é uma parte da evolução de comunicações, que será percebida ao longo dos próximos anos, já que o leilão do 5G foi executado. “Quando falamos de Indústria 4.0 é você pensar em computação em nuvem, em robôs na linha de produção, pensar em realidade aumentada”.

Segundo ele, dentro do conteúdo da Indústria 4.0 no aspecto da metrologia legal há a questão do big data. “A informação, ou seja o big data, você coleta vários parâmetros de medição, de informação em uma fábrica, seja ela em um processo de pesagem ou de tempo de preenchimento de uma determinada linha de produto com um medidor de vazão. Isso se transforma em valor, porque pelo conhecimento estatístico você consegue monitorar e melhorar a sua produção”.
Sobre IoT, Jacon explicou que ao pensar em qualquer tipo de aparelho eletroeletrônico ou mecânico em que se deseja coletar informações e coloca-las na internet, ou seja, tendo isso em um sistema de nuvem, é chamado Internet das Coisas.

“Quando falamos de Internet das Coisas, basicamente temos três tipos de aplicação: o bluetooth comercial, conhecido por todos nós como fones de ouvidos ou até mesmo o nosso celular conectado no carro, uma comunicação de radiofrequência que é aplicável em uma faixa mais ou menos de dez metros; o ZigBee, que é uma arquitetura aproveitada para uma transmissão de dados para uma área maior, que atinge 100 metros. Agora, quando pensamos em áreas muito grandes, como cidades, ou até mesmo o campo, estamos falando de telecomunicações na área do 5G”, comentou.

A respeito do 5G, o vice-presidente de Telecomunicações comentou que para ele acontecer é necessário utilizar as redes de comunicação das operadoras de telefonia para transmitir dados.

“Quando pensamos em 5G, o que ele vai revolucionar para essa nova realidade? O 5G vai conseguir entregar informações a longa distância com uma banda maior, com uma taxa de transmissão maior, com um tempo de resposta muito pequeno, ou seja, em milissegundos. O 4G não tem essa característica de transmissão. O 5G já tem e com isso você acaba encontrando aplicações práticas de cidades inteligentes de radar de trânsito, onde se tem acesso instantâneo à medição”, explicou.

Ao falar sobre a certificação Anatel, Jacon comentou sobre a figura do Organismo de Certificação. “A Anatel trabalha com a designação de Organismos que fazem análise do produto e determinam as características que este possui, as normas aplicáveis e quais ensaios serão usados para a certificação do modelo”.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Abrac