Vice-presidente de Produtos da Abrac participa de evento do Siamfesp sobre Política Nacional da Infraestrutura da Qualidade

Na última quarta-feira (31.08), a Associação Brasileira de Avaliação da Conformidade (Abrac), participou de um evento do Sindicato da Indústria de Artefatos de Metais Não Ferrosos no Estado de São Paulo (Siamfesp) para debater a Política Nacional da Infraestrutura da Qualidade.

O evento aconteceu no auditório da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), em São Paulo (SP), e teve a mesa composta pelo vice-presidente de Produtos da Abrac, Alexandre Xavier L. Martins; gerente de projetos do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), Marcos Aurélio Lima de Oliveira; presidente da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), Mario William Esper; diretor-executivo do Siamfesp, Celso Davi Rodrigues e o assessor técnico do Sindicato, Roney Honda Margutti.

No encontro, o vice-presidente de produtos da Abrac tratou sobre a importância da avaliação da conformidade dentro do estabelecimento da Política Nacional e para apresentar diretrizes aos setores produtivos.

“O primeiro aspecto é como refletir as necessidades reais dos setores produtivos em relação a normas técnicas, a regulamentos, a acreditação e a avaliação da conformidade. Acreditamos que a forma adequada para isso não é estabelecer as regras, mas tornar o setor produtivo um protagonista de todo esse desenvolvimento”, relatou Alexandre Xavier.

Segundo ele, o segmento não quer, nem de longe, que isso se torne uma imposição ou algo que seja percebido como um custo desnecessário. “Queremos que a avaliação da conformidade, composta por certificação, inspeção, ensaios laboratoriais e os regulamentos, a acreditação, possa ser uma ferramenta para a competitividade, dos setores, das organizações, dos profissionais e do próprio país”, completa o vice-presidente da Abrac.

O gerente de projetos do Inmetro, Marcos Aurélio Lima de Oliveira, citou a importância de atualizar a Política Nacional Da Infraestrutura da Qualidade. “Se você cria uma política regulatória, e não fizer ajustes periódicos, ela vai se perder com o tempo. Essa política, não é somente do Inmetro, é uma política do país, que abrange todas as cadeias produtivas”, pontua.

“Todas essas ações que estão sendo desenvolvidas no Brasil, que tem sensibilizado o setor produtivo, todos os setores da economia brasileira, da importância da normalização, da metodologia e da Avaliação da Conformidade, são muito importantes, pois estamos alinhados com o que temos de mais desenvolvido nos outros países”, acrescentou o presidente da ABNT, Mario William Esper.

O vice-presidente da Abrac citou a importância da Política Nacional da Infraestrutura da Qualidade para implementação de práticas ESG (Environmental, social, governance) e, consequentemente, atingir as metas estabelecidas no Acordo de Paris.

“Sem a Infraestrutura da Qualidade nós não vamos alcançar os objetivos do Acordo de Paris. Esse é um fator adicional fundamental de tudo que está sendo construído, fazendo com que, por fim, a qualidade seja entendida como o melhor plano de negócio, parafraseando o Steve Jobs.”, conclui.

Para assistir o encontro na íntegra, acesse o link.

Fonte: Assessoria de imprensa da Abrac