“Telecomunicação nunca foi tão vital quanto nos últimos anos”

Marcio Jesus da Silva,vice-presidente de negócios B2C da Algar Telecom, comentou sobre 5G, laboratórios e certificadoras

A Associação Brasileira de Avaliação da Conformidade (Abrac)entrevistou Márcio Jesus da Silva, vice-presidente de negócios B2C da Algar Telecom,a primeira operadora a lançar o 5G em frequência vendida por leilão da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Silva possui 20 anos de experiência na condução de negócios na indústria de Tecnologia da Informação (TI) e Telecom. Atuou na área de negócios da Xerox do Brasil S/A e nas diretorias de Marketing e Vendas da Algar Telecom. Atualmente, é responsável Business Unit B2C da Algar Telecom, que compreende os negócios de internet, telefonia fixa, móvel e Serviços de Valor Agregado (SVAs) para o segmento residencial.

A Algar Telecom é uma empresa do grupo Algar que atua no setor de Telecomunicações e TI há mais de 60 anos, e possui como objetivo manter um relacionamento próximo com os clientes e oferecer serviços de alta qualidade.

Leia a entrevista na íntegra.

Abrac – A Algar Telecom é a 1ª operadora a lançar o 5G em frequência vendida por leilão da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Quais foram os principais passos da instituição para disponibilizar a nova tecnologia?

Márcio Jesus da Silva- Um ponto importante é que a Algar começou esse planejamento há mais de dois anos, estudando o leilão e fazendo toda a preparação para esse lançamento, estudando quais eram as frequências, tecnologias compatíveis, conversando com diversos fabricantes, que suportaram o lançamento de rede 5G no mundo, nos países que saíram antes do Brasil. Essa preparação pelo nosso time de engenharia e regulatório para entender todas as regras e condições começou antecipadamente, o que permitiu que tivéssemos de fato um lançamento mais rápido.

A participação no leilão foi muito importante. AAlgar tinha um objetivo muito claro: o de assegurar as frequências para as regiões que operamos telefonia móvel. Fizemos a aquisição de todas as três faixas de frequência do leilão, tivemos êxito nas nossas propostas, nas três faixas de frequência, cada uma com um objetivo bem específico, uma delas que permitiria a utilização imediata, que é a frequência 2.3 gigahertz. Quando nós definimos o nosso objetivo com essa frequência a intenção já era que de fato tivéssemos um lançamento antecipado para trazer essa experiência superior na rede móvelo quanto antes para a nossa base de clientes.

Essa frequência permitiu com que lançássemos,ainda no ano passado, as primeiras regiões com a cobertura 5G. Nós começamos a trabalhar o core das redes, que são equipamentos de inteligência e programação da rede de telefonia móvel. Foi necessário fazer uma atualização desses equipamentos, das tecnologias anteriores de 3G, 4G, 4.5G, para o 5G, e foi feito imediatamente após o resultado do leilão.

O nosso time de engenharia, técnicos e fornecedores, começara a trabalhar no core, de forma que já estivesse pronto no início de dezembro. Nesse mesmo mês, escolhemos três cidades mais volumosas nas áreas que a Algar opera, e fizemos o lançamento do 5G. Nós equipamos algumas torres, que têm uma cobertura bastante relevante nessas cidades, equipamos essas torres com os equipamentos 5G e começamos a oferta do serviço 5G puro.

Não é uma combinação de frequências, é uma frequência nova, recém adquirida no leilão, que já está, como o termo que usamos, iluminada, ou seja, já está ativa, propagando sinal de 5G em Uberlândia (MG), Uberaba (MG) e Franca (SP), que são as três maiores cidades de atuação da nossa rede móvel. Foi um trabalho bastante antecipado, cuidadoso, e atencioso do planejamento, de um time bastante zeloso da Algar Telecom, e obviamente em parceria com os fornecedores, líderes do segmento móvel no mundo, que contribuíram para que tivéssemos esse lançamento bastante rápido.

Abrac – Quais são as expectativas da Algar Telecom com o 5G em 2022?

Márcio Jesus da Silva- Temos uma participação bastante relevante em telefonia móvel nas áreas que operamos. A Algar lidera o marketing sharenessas regiões, nas maiorias das cidades. Nosso primeiro objetivo é trazer a melhor experiência para os nossos clientes, assegurar que eles tenham antecipadamente esse acesso ao que tem de melhor em termos de telefonia móvel, acomodar uma experiência melhor de serviço para os clientes atuais, e, automaticamente, quando lançamos uma tecnologia nova, um serviço novo, temos sim um potencial para atrair novos clientes e para manter uma base bastante robusta e manter essa visão de liderança de marketing share nas cidades onde operamos.

Começamos a operação por algumas torres, e ao longo do ano de 2022 vamos aumentar o alcance dessa rede 5G iluminando mais algumas torres nessas regiões, buscando ter o máximo de cobertura possível dentro do ano.

Abrac – Para que a tecnologia 5G tenha efetividade é necessário que os aparelhos sejam compatíveis com a nova frequência, sendo que três laboratórios e 17 certificadoras credenciadas pela Anatel já atuam na capacitação de seus parques técnicos para que possam testar e avaliar itens como compatibilidade eletromagnética, segurança elétrica oferecida ao usuário e suas características na emissão de rádio frequência que possam ser absorvidas pelo corpo humano durante a utilização dos dispositivos. Como avaliam a importância dos aparelhos serem testados e certificados?

Márcio Jesus da Silva- Isso é fundamental.O primeiro impacto da tecnologia 5Gé uma experiência de uso que pode chegar a 40 vezes a velocidade que o cliente experimenta hoje. Uma velocidade em média de 200, 400 megas, são velocidades que testamos nas implantações iniciais que fizemos. Isso é quase 40 vezes a velocidade média que o 4G entrega no País. Para isso os aparelhos precisam ser compatíveis, preparados, homologados, para operar nessa nova frequência.

Os maiores fabricantes têm linhas de aparelhos, desde 2021, e vêm lançando no Brasil aparelhos compatíveis com a frequência licitada pela Anatel e adquirida pela Algar, compatíveis já com o 5G.Temos um volume interessante de aparelhos no mercado. A Motorola tem se mostrado bastante ágil em liberar toda a sua família de aparelhos para operar no 5G de 2,3 gigahertz nessa primeira frequência. A Samsung também está com um trabalho bastante próximo conosco, e a previsão é que até começo de fevereiro a gente já tenha linha de aparelhos Samsung. Amaioria dos lançados a partir de 2021 tem a especificação de 5G. A Apple também tem aparelhos compatíveis e está fazendo as devidas aprovações e homologações para que operem nas frequências com as operadoras no Brasil.

Essa homologação que a Anatel requer para qualquer equipamento funcionar com as frequências oficiais do mercado de telecomunicação do Brasilé fundamental, permitindo que tenhamos cada vez mais aparelhos compatíveis, de diversas faixas de preço, acessíveis a um volume muito maior de consumidores.

Abrac – Na opinião da Algar Telecom, quais serão os benefícios que o 5G irá trazer para os brasileiros?

Márcio Jesus da Silva- O primeiro deles é uma experiência superior no uso da rede móvel. A gente vem de quase dois anos de pandemia e a expressão que eu tenho usado é a seguinte: o tem nos trazido um pouco mais de confiança durante todo esse período que a sociedade mundial está passando pela pandemia é a vacina e as telecomunicações.

O País continuou funcionando, os negócios continuaram funcionando, as aulas continuaram acontecendo, através das redes de telecomunicações, as famílias continuaram se relacionando, se entretendo, nas redes de telecomunicações. Então, telecomunicação nunca foi tão vital quanto nos últimos anos. Isso trouxe hábitos de uso e consumo e o setor de telecom percebeu isso em suas redes. Foi exponencial o crescimento de tráfego cursado nas redes das diversas operadoras no Brasil, e não foi diferente com a Algar Telecom.

O 5G disponibiliza mais potência, mais capacidade, uma experiência bastante superior no uso da rede móvel, por permitir um volume muito maior de dados, latência menor(que é o tempo de resposta, quando a gente busca uma informação na internet), um tempo de resposta muito mais ágil e que de fato vai complementar esse novo normal, em quetelecomunicações é uma base fundamental para a continuidade e crescimento da sociedade como um todo.

Esse é o primeiro impacto do 5G no País, porém tem uma vertente muito mais disruptiva. O volume de dados possível de ser trafegado em rede 5Gpermite aplicações que ainda não são comuns ou não estão massificadas na sociedade, comoarealidade virtual, que vai permitir realidade imersiva. Omundo dos negócios vem usando bastante para fazer demonstração e experimentação de produtos, eisso vai ser cada vez mais comum no mercado uma vez que essas aplicações vão alcançando a maturidade, como aplicações industriais, indústria 4.0, controles industriais, controles de robótica, controles de drone. O 5G torna muito mais confiável, muito mais ágeisas possibilidades de ter muito mais automação nas indústrias, sem falar, obviamente,dos veículos autônomos, dos controles de drones.

O agronegócio também sofre um impacto muito forte.Temos participado de eventos junto com o setor de agronegócioe vemos quetem muita inovação acontecendo: as máquinas autoguiadassem necessidade de operador, os controles, os censores, o controle de produção e de qualidade do rebanho. Tem muita coisa acontecendo que vai trazer mais conforto, mais conveniência para a sociedade e vai trazer mais produtividade e mais inovação para os negócios.

 É uma jornada longa, estamos no começo dela. Oleilão da Anatel prevê a concessão das frequências por 20 anos, e a gente está nesse primeiro ano, começando essa jornada. Ao longo dessa jornada muita inovação e muita tecnologiavão ser viabilizadaspor uma plataforma de telecomunicação muito mais robusta e muito mais ágil que o 5G disponibiliza para o País. Estamoscomeçando uma nova era em telecomunicações, automação e tecnologia, e o 5G é a via expressa para tudo que tem por vir.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Abrac