Rosemary Vianna é a nova vice-presidente de Sistemas e Pessoas da Abrac

Vice-presidência de Sistemas e Pessoas é composta por integrantes da ABS, FCAV e TUV Rheiland Brasil

Vice-presidência de Sistemas e Pessoas é composta por integrantes da ABS, FCAV e TUV Rheiland Brasil

A Associação Brasileira de Avaliação da Conformidade (Abrac) conta com uma novo vice-presidente de Sistemas e Pessoas, Rosemary Vianna. A country manager da TUV Rheiland Brasil atuará junto aos outros dois vice-presidentes da área: José Joaquim A. Ferreira (FCAV) e Sergio Custodio (ABS).

Rosemary tem MBA em Gestão de Negócios pelo BI-FGV e em Master Coach pela Sociedade Brasileira de Coaching & FAPPESP, especialização em Competências de Professor pelo BI-FGV e em Sustentabilidade pela Fundação Dom Cabral. A nova vice-presidente da Abrac, possui cerca de 37 anos de experiência no segmento.

Com exclusividade, a Associação entrevistou Rosemary Vianna, que comentou sobre as suas expectativas, importância do segmento de Sistemas e Pessoas, entre outros tópicos.

Leia na íntegra.

Abrac – Quais são as suas expectativas de fazer parte da vice-presidência de Sistemas e Pessoas da Abrac?

Rosemary Vianna – A primeira expectativa é discutir mais com o setor um balanço de 2020 e 2021, por conta das crises da pandemia, do cenário econômico e tudo mais. Globalmente houve um crescimento na emissão de certificados da ISO 9000 de 10%. O Brasil teve uma queda de 7% na variação de 2021 para 2020.

A ISO 14000 cresceu mundialmente 13%. No Brasil, houve uma queda de 2%.

O que o Brasil teve de vantagem foi na 45000, mas que ainda tem um número de certificados muito pequeno. As certificações em conformidade com a ISO  45001, teve 48% de crescimento mundial, o Brasil cresceu 94%, provavelmente porque que ajuda efetivamente as empresas a atenderem os regulamentos que são bastante claros na área de saúde e segurança.

Então, a primeira parte é uma reflexão da Abrac para conseguir projetar algo pro mercado em termos de valorização dessa certificação. A gente percebe que as empresas que implementam sistemas de gestão de qualidade, meio ambiente, saúde e segurança, energia, entre outras, conseguem usar todo o arcabouço das certificações para criar uma base na pirâmide que sustente as melhores práticas de governança, tornando as empresas mais resilientes.

Temos vários temas hoje de ESG e inovação. A empresa com um planejamento estratégico e voltado para sustentabilidade, não falo só do socioambiental, mas a sustentabilidade do negócio, de acompanhar todas as demandas sociais e de consumo. Essas empresas deveriam iniciar pelo planejamento estratégico e de governança refletindo os valores, estruturando todo o seu planejamento com base nos pilares econômico, social e ambiental. Então, uma empresa que tenha Sistemas de Gestão bem implementados, tem muito maior chance de obter melhor resposta do mercado.

As empresas deveriam também, através da avaliação da conformidade dos riscos envolvidos nos seus fornecedores, incentivando-os a implementar os sistemas de gestão da qualidade, meio ambiente, social gestão de energia.  

Através do reconhecimento do contexto atual, a organização pode avaliar a sua posição, as externalidades do seu negócio e planejar e definir uma agenda de implementação, onde as ferramentas do sistema de gestão ISO, mundialmente reconhecidas, sejam efetivamente benéficas para o negócio da empresa e para gerenciar os riscos próprios e aqueles identificados na cadeia de fornecedores.

Dessa maneira, a minha expectativa é levar para dentro da Abrac uma discussão e reflexão sobre as variações, no Brasil, dos números de 2020 para 2021. Também colaborar com posições e ações voltadas para a manutenção da credibilidade das certificações e fortalecimento do mercado.

Abrac – Qual a importância da Abrac contribuir com os projetos voltados a área de sistemas?

Rosemary Vianna – Acredito que a posição da Abrac em seu próprio estatuto é defender os interesses, valorizar e ajudar o fortalecimento da credibilidade das certificações. Mas, acima de tudo, fazer o advocacy para o segmento, através das suas Diversas Vice-Presidências, Diretorias e Comitês.

Abrac – Sobre a avaliação da conformidade, como você avalia a importância de atuar nesse segmento?

Rosemary Vianna – No Brasil, a avaliação da conformidade passa por um processo de amadurecimento. De uma maneira geral o compliance como um todo. Você pensa no entendimento de lei, no entendimento de regulamentos e tudo mais.

Todas as normas tem um requisito para o atendimento às leis e regulações aplicáveis aos produtos e à empresa. Então, acredito que as normas também contribuem para a cultura de compliance buscando reconhecer quais são esses requisitos legais, regulatórios.

Então, vejo a avaliação da conformidade num patamar muito maior, de muito maior valor e impacto para as organizações que implementam as normas como deve ser.

Abrac – Quanto tempo você faz parte desse segmento?

Rosemary Vianna – Trabalhei 11 anos em uma empresa americana de fabricação de freios e sistemas de portas para metrô e trens. Ali eu já trabalhava com avaliação de conformidade e ferramentas de qualidade que existiam na época.

Depois fui para a SGS onde trabalhei 19 anos. Dirigi duas divisões de negócio, uma de sistemas de gestão e outra de gestão de produtos. Na sequência, fui para o mercado, e fiquei sete anos trabalhando inovação, sustentabilidade, governança e compliance, incluindo gestão de risco, e a partir disso consegui ter uma visão mais ampla de como essas ferramentas poderiam ser realmente a base da pirâmide. Fui convidada a trabalhar na TUV Rheiland Brasil, em junho deste ano, como country manager.

Abrac – Quais são as suas experiências que irá trazer para a Abrac?

Rosemary Vianna – Acho que essa visão de ter estado do lado de lá como consultora e ter estado do lado de cá, desenvolvendo negócios de valor para o mercado. Todo esse período que eu fiquei fora da Abrac, a Associação avançou muito. Isso é nítido, é estrutural os movimentos que a entidade fez.

O que posso trazer para a Abrac é essa visão de maior alinhamento das ferramentas de sistemas de gestão com planejamento.  Fiquei bastante feliz com o convite da Associação para assumir algumas posições, como vice-presidente de Sistemas e Pessoas, mas também dentro de outras frentes desafiadoras, misturando um pouco de inovação, sustentabilidade, governança, gestão de risco e compliance.

Fonte: Assessoria de imprensa da Abrac