Presidente da IACC fala sobre os objetivos globais e o Dia Mundial da Acreditação

Em entrevista à Abrac, Liliane Somma, presidente da Cooperação Interamericana de Acreditação (IAAC) fala sobre acreditação

liliane somma

A presidente da Cooperação Interamericana de Acreditação (IAAC), Liliane Somma, concedeu entrevista exclusiva à Associação Brasileira de Avaliação da Conformidade (Abrac) para falar sobre o Dia Mundial da Acreditação – 9 de junho -, iniciativa global estabelecida pelo International Accreditation Forum (IAF) e International Laboratory Accreditation Cooperation (ILAC).

Criada em 1996 no Uruguai, a IAAC é uma associação regional de organismos de acreditação e outras organizações interessadas em avaliação de conformidade nas Américas. Entre os objetivos da entidade, estão: promover a aceitação regional e internacional das acreditações concedidas pelos seus membros e facilitar o comércio entre as economias através de um sistema eficiente de avaliação de conformidade.

Neste ano, o tema do Dia Mundial da Acreditação está ligado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que estão no centro da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU) para o Desenvolvimento Sustentável. Segundo Liliane, as metas são muitos abrangentes, como alimentação, trabalho e meio ambiente.

“Temos a acreditação de alimentos, como na ISO 22000 (norma internacional que define os requisitos de um sistema de gestão de segurança de alimentos abrangendo todas as organizações da cadeia alimentar). Há o tema de trabalho digno, que podemos atrelar a certificação de pessoas, além de assegurar a competência técnica. São 17 objetivos globais e muitas linhas da acreditação atingem vários deles”, declarou a presidente da IAAC.

De acordo com Liliane, a acreditação é uma forma de assegurar que produtos, serviços, e testes, no mundo todo, sigam um padrão de conformidade. “A certificação de produtos no Brasil pode ser reconhecida por órgãos reguladores de outros países, porque a avaliação da conformidade está harmonizada. No melhor dos mundos, são utilizadas as normas da ISO e todo mundo ensaia com os mesmos requisitos, então todo mundo confia. É uma demonstração da competência técnica de quem faz essa avaliação da conformidade dos produtos e serviços”, acrescentou.

Segundo a presidente, o Brasil é pioneiro no sistema de avaliação da conformidade, pois está no segmento desde meados de 1970, trabalhando com qualidade e segurança. “Sei que agora o País está tentando mudar para um tipo mais livre de avaliação da conformidade, mas acredito que toda a certificação de produtos, sistemas e ensaios, não vão perder o seu lugar, pois faz muito tempo que estão inseridos na área, não só pelo Inmetro, mas também a Abrac, como Associação, que trabalha para a melhoria contínua”, comentou.

Sobre a Abrac, Liliane destacou que a Associação é membro da IAAC há muito tempo, e as duas entidades trabalham em conjunto pelo desenvolvimento da avaliação da conformidade. “É uma organização que pertence à Cooperação e que está participando e compartilhando no desenvolvimento de novos alinhamentos para a acreditação”, finalizou.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Abrac