“O principal objetivo do Laboratório é poder fazer as validações e metodologias com as novas tecnologias”

O gerente de Projetos do Inmetro, Marcos Aurélio Lima de Oliveira, comentou sobre os principais objetivos do Laboratório e os próximos passos do projeto.

092309122021.jpg

No dia 30 de novembro, foi inaugurado o primeiro Laboratório de Infraestrutura da Qualidade no Brasil do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR), em Foz do Iguaçu (PR). O projeto é uma parceria da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), com a Associação Brasileira de Avaliação da Conformidade (Abrac), o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e o Parque Tecnológico Itaipu.

Para a quinta entrevista do Especial Infraestrutura da Qualidade da Abrac, que está abordando o tema, a entidade entrevistou o gerente de Projetos do Inmetro, Marcos Aurélio Lima de Oliveira, que comentou sobre os principais objetivos do Laboratório e os próximos passos do projeto.

Leia na íntegra.

Abrac – Quais são os principais objetivos do Laboratório de Infraestrutura da Qualidade?

Marcos Aurélio Lima de Oliveira – O principal objetivo do Laboratório é poder fazer as validações e metodologias com as novas tecnologias que estão sendo empregadas nas cidades inteligentes. É importante destacar que antes de ser uma cidade inteligente, ela tem que ser sustentável. O mundo hoje trabalha nesse sentido. Uma pergunta importante: podemos confiar em todas essas tecnologias que estão sendo empregadas nas cidades inteligentes? Essa é a grande pergunta. O que a gente está propondo é um projeto inovador. Não conheço no mundo uma iniciativa dessa, onde você terá um Laboratório de Infraestrutura da Qualidade, Laboratório esse que é de inovação, e que com todas as ferramentas, quer seja de metrologia, de normalização, avaliação da conformidade e acreditação, estão inseridas no contexto da Abrac, Inmetro e da ABNT, para que a gente possa através do conhecimento dessas instituições, suportar e validar essas tecnologias, que estão sendo empregadas nas cidades inteligentes, esse é o grande objetivo desse projeto incentivador, inovador e desafiador ao mesmo tempo.

Abrac – Qual a importância da Abrac, ABNT, Inmetro e PTI estarem juntas nesse projeto?

Marcos Aurélio Lima de Oliveira – É muito interessante. O PTI porque está sendo o grande hospedeiro dessa tecnologia através do Projeto Smart Vitrine Vila A, que é um bairro em Foz do Iguaçu, onde está sendo preparado para que qualquer cidade no Brasil que queira entender como é que funciona uma cidade inteligente poderá visitar. Então todas essas tecnologias que o PTI está organizando através desse hub é o que a gente pretende fazer com as nossas competências através da Abrac sobre os serviços de avaliação da conformidade, a ABNT da normalização e o Inmetro com a acreditação e metrologia. Com todas essas competências estabelecidas pelo PTI, desenvolvendo as tecnologias, trazendo empresas e startups, que poderão também desenvolver tecnologias para dentro do Projeto Vila A. Então nós vamos ter ao longo do Projeto, que se inicia com 12 meses, e a gente pretende alavancar por mais 12 meses, é trazer e desenvolver toda uma validação em cima dessas tecnologias. A Infraestrutura da Qualidade através dessas ferramentas é um grande integrador para que essa conectividade, que está sendo cada vez mais implementada nas cidades inteligentes podem ser, a cima de tudo, confiáveis.

Abrac – Quais serão os próximos passos desta parceria após a inauguração do Laboratório de Infraestrutura da Qualidade?

Marcos Aurélio Lima de Oliveira – O que a gente já pretende fazer em dezembro, é a Abrac, ABNT, Inmetro e PTI, termos reuniões presenciais. Todos já estão trabalhando na contratação de alguém (um responsável por entidade), mas nesse momento já temos uma servidora do Inmetro, que estará organizando, no ponto de vista do Instituto de como se dará toda essa fase de organização desse Laboratório. A gente pretende a partir de janeiro já termos algum projeto piloto para iniciarmos essa metodologia e como que a gente vai implantar e vai desenvolver as atividades nesse Laboratório.

Abrac – Como avalia a importância da Infraestrutura de Qualidade alinhada com a acreditação?

Marcos Aurélio Lima de Oliveira – Resumiria em uma palavra: integradora. As ferramentas de Infraestrutura da Qualidade terão um papel fundamental de integrar todas essas tecnologias existentes hoje no mundo das cidades inteligentes. A ISO, que é o Organismo Internacional da Normalização, a IEC, que é o Organismo Internacional de Normalização Elétrica, a ITU, que é o Organismo Internacional de Telecomunicações, todos os organismos de normalização internacional, já estão trabalhando juntos em padrões normativos. O que a gente pretende é estar no estado da arte, quando isso estiver sendo alguma coisa lançada lá fora, que a gente não aprenda muitos anos depois, a gente já quer aprender fazendo, acho que esse é o grande desafio desse Laboratório.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Abrac