Entidades lançam Laboratório de Infraestrutura da Qualidade, em Foz do Iguaçu (PR)

Abrac, ABNT, Inmetro e PTI investem em criação de espaço para facilitar conexão com empresas do ramo de Cidades Inteligentes, em Foz do Iguaçu – PR

Em um mundo cada vez mais urbanizado, com mais de 2,5 milhões de cidades – no Brasil, são 5.570 municípios oficiais –, a temática das Cidades Inteligentes surge como uma necessidade: é preciso, além de inovar, trazer mais dinamismo às atividades do dia a dia. De acordo com um levantamento realizado pela empresa de consultoria e pesquisa tecnológica Technavio, o mercado de Smart Cities deve gerar faturamento de US$ 2,118 trilhões até 2024.

Com o objetivo de criar cidades cada vez mais inteligentes, a Associação Brasileira de Avaliação da Conformidade (Abrac), em parceria com o Inmetro, com a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e o com o Polo Tecnológico de Itaipu (PTI), inaugurou neste mês de março, o primeiro Laboratório de Infraestrutura da Qualidade do país, localizado na Vila A Inteligente, bairro de Foz do Iguaçu, no PR.

A Infraestrutura da Qualidade é crucial para a promoção e sustentação do desenvolvimento econômico, bem como o bem-estar ambiental e social. Dessa forma, o Laboratório foi pensado para garantir a qualidade de produtos ou serviços, além de catalisar a competitividade da economia do país no mercado internacional. Isso é possível por meio da criação de um espaço que congrega as principais instituições atreladas à infraestrutura da qualidade, de maneira a facilitar a conexão com o mercado, em especial as empresas da área de Cidades Inteligentes.

Atividades do Laboratório

Dentre as atividades a serem realizadas pelo Laboratório de Infraestrutura da Qualidade, estão: o provimento de subsídios para a estruturação do Laboratório de Infraestrutura da Qualidade; o suporte técnico para o desenvolvimento e validação de métodos utilizando técnicas de calibração remota; a aquisição e análise estatística de dados dos sensores alocados em áreas estratégicas de atuação na Vila A Inteligente; a formação de recursos humanos e divulgação; e a atuação como membro do espelho do ISO TC 268 no Brasil.

Por meio dessas atividades, pretende-se alcançar objetivos como a disseminação de normas técnicas aliadas a cidades inteligentes, desenvolvimento estudos suporte ao desenvolvimento de calibrações remotas e suporte ao desenvolvimento de metodologia para aquisição de dados de sensores. Dessa forma, o Laboratório poderá estimular o desenvolvimento da infraestrutura nacional da qualidade associada às Cidades Inteligentes e promover a cooperação entre os setores público e privado.

Ainda cabe destacar que a adoção de tecnologias na Vila A Inteligente, o primeiro bairro inteligente do país, prevê a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos nas áreas de segurança pública, mobilidade urbana, ambiental e integração social. Até o momento, seis startups já foram selecionadas para iniciar os trabalhos de implantação e testar soluções que, por exemplo, levarão água quente e fria para pessoas e pets em espaços públicos, monitoramento para rede elétrica, ou ainda, sistema inteligente de informações para pontos de ônibus, facilitando o deslocamento urbano.

Assim, ao oferecer mais confiança a produtos desenvolvidos para cidades inteligentes, o trabalho que será desenvolvido no laboratório beneficia tanto as empresas, que se tornarão mais competitivas nos mercados interno e externo, quanto o poder público, que terá mais segurança e modernidade em suas aquisições.

Escolha do município

Desde a implantação do Complexo Hidrelétrico de Itaipu, a cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná, possui projetos e instituições com experiência na temática e é referência nos assuntos de qualidade, inovação de tecnologia, atraindo um grande capital humano – atualmente, são mais de 40 mil estudante e diversos cursos na área de TIC´s.

Outro ponto importante para a escolha do município para este projeto foi o fato de que Foz do Iguaçu é a cidade que mais possui investimento do governo federal e conta com grandes obras estruturantes. Dessa forma, o local se tornou um grande hub logístico e principal porta de entrada do Brasil para América Latina, em termos de investimento e tecnologia.