“É necessário que as organizações de avaliação da região americana se unam e tenham uma voz unificada”

Diretor executivo da Associação Colombiana de Avaliação da Conformidade, Ramón Madriñán, concede entrevista à Abrac sobre objetivos da AIEC

ramon.jpg

No dia 20 de novembro, a Associação Brasileira de Avaliação da Conformidade (Abrac), o Instituto Argentino de Normalização e Certificação (Iram), e a Associação Colombiana de Avaliação da Conformidade (Asocec) realizaram a solenidade virtual de fundação da Associação Interamericana de Avaliação da Conformidade (AIEC).

Para falar sobre a iniciativa, o diretor-executivo Asocec, Ramón Madriñán, concedeu entrevista exclusiva à Abrac. De acordo com ele, é uma honra poder acordar, em conjunto com a Associação Brasileira de Avaliação da Conformidade e Iram, a constituição da AIEC. “Esta data, 20 de novembro, passa a ser um momento de celebração nos próximos anos”.

Madriñán é mestre em Direito e pesquisador visitante na Universidade de Direito de Harvard. Autor do livro “Comentários ao Novo Estatuto do Consumidor – Lei 1480 de 2011”, e é ex-diretor de Regulamentação do Ministério do Comércio, Indústria e Turismo, negociador do Free Trade Agreements (FTA) nos Estados Unidos.

Leia a entrevista completa:

Abrac – De onde surgiu a ideia de criar a AIEC?

Ramón Madriñán – A ideia da criação da AIEC surgiu pela primeira vez em torno de uma xícara de café colombiano. Isso aconteceu no início de 2015, em Bogotá. Em um encontro informal entre Masao Ito, Alfredo Garcia e eu. Ao analisar as necessidades da Abrac e da Asocec, concluiu-se que era necessária uma associação internacional de avaliação da conformidade para melhorar a participação das organizações da região nos diferentes fóruns internacionais.

Abrac – Qual é a importância de ter uma Associação Interamericana de Avaliação da Conformidade?

Ramón Madriñán – A importância é tudo. É necessário que as organizações de avaliação da região americana se unam e tenham uma voz unificada. Além disso, a AIEC possibilitará obter eficiências em muitas áreas que permitirão às organizações e suas associações alcançar um maior número de fóruns internacionais que as afetam.

Abrac – Quais são os principais objetivos da AIEC?

Ramón Madriñán – O principal objetivo da AIEC é permitir que os organismos de avaliação da conformidade e as associações que os agrupam, trabalhem de forma mais estreita e eficaz para alcançar os seus objetivos comuns e o melhor conhecimento por parte do Estado, da sociedade e consumidores, dos benefícios da avaliação de conformidade.

Abrac – A Associação foi fundada por entidades da Argentina, Brasil e Colômbia. Quais são as expectativas de participação de outros países?

Ramón Madriñán – Esperamos uma grande participação de outras associações e organismos de avaliação da conformidade do continente na AIEC. Esperamos prontamente as associações de organizações da Argentina, Uruguai, Peru, Equador, Guatemala e México. Com a AIEC, esperamos que associações nacionais de organizações sejam formadas nos países onde ainda não existem. Com eles, aguardamos de braços abertos os órgãos de avaliação da conformidade das Américas.

Abrac – Quais serão as principais ações da AIEC?

Ramón Madriñán – Vamos trabalhar muito rapidamente em um cronograma de trabalho. Com isso, devem ser constituídos grupos de trabalho para começar a trabalhar aspectos importantes em termos de chegada aos fóruns regionais e internacionais da qualidade, uma visão comum da missão do Estado perante a infraestrutura nacional da qualidade e os sistemas e apoios e melhoria das condições dos organismos de avaliação da conformidade do continente.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Abrac